Notícias do Turismo
 

 

Namorados desde 2008, vice-campeão de 2014 e apresentadora da Band falam sobre praticidade de dormir na pista



Para quem viaja pelo Brasil vivendo o circo da Stock Car, muitas vezes falta comodidade e o "toque do lar". Muitas vezes a pista é próxima à cidade, mas muitas vezes também é muito longe, o que faz consequentemente com que a estrutura oferecida próxima ao circuito não seja a ideal.

Desde 2008 na Stock Car, Atila Abreu e seus pais souberam bem disso. Por isso, resolveram adquirir em 2012 um motorhome para servir como base dentro do paddock nos finais de semana de corrida. Desde então, é lá que Átila passa a maior parte do tempo enquanto está na pista. O piloto dorme, come, recebe patrocinadores, faz reuniões e se prepara para competir no local.

Apesar de gostar do espaço atualmente, ele revelou ao Motorsport.com que foi voto vencido na aquisição do trailer. “No começo era até contra. Meu pai e minha mãe que queriam”, disse. “Mas o Brasil infelizmente carece de uma boa estrutura nos autódromos. Alguns são bons, mas alguns lugares que a gente vai - como Tarumã - você não tem banheiro adequado e nem muita infraestrutura.”

“E como meu pai, minha mãe e minha namorada sempre gostaram vir me acompanhar, a gente resolveu comprar o trailer para ter um conforto maior na pista.”

Quem aprovou a escolha foi Renata Fan, namorada do piloto. A última etapa da Stock Car em Campo Grande marcou a primeira vez da gaúcha utilizando o motorhome para dormir. “Eu passo a maior parte do tempo aqui, mas agora foi a primeira vez que eu fiquei de fato no trailer”, disse ao Motorsport.com.

“Foi bem melhor. Você já fica no contexto, já ouve os carros e se sente mais integrada ao clima das corridas. É diferente de ir para um hotel onde você às vezes fica vendo um filme, ou, no meu caso, vendo futebol. Mas ontem eu vi o jogo do Inter e o trailer foi pé quente, porque ganhamos. Minha vida melhora ficando aqui. Eu adorei, foi uma experiência ótima e vai se repetir.”

Para Átila, atualmente a "casa fora de casa" é indispensável. “Não imaginava que seria tão bom”, confessou.

“Hoje eu acordo e já estou na pista, então posso sempre dormir um pouco mais. Posso também ficar até mais tarde aqui falando com os engenheiros sem me preocupar em voltar para o hotel. É só descer as escadas e já estou aqui. Fora o fato de ser acordado com o barulho dos carros. Não tem coisa melhor para quem é piloto, né”.

Vida no paddock

Modelo e apresentadora, Renata Fan conheceu Átila Abreu trabalhando no paddock da Stock Car. “Eu fazia o camarote da Goodyear, tirava foto com todos os clientes, diretores, presidentes e etc”, disse.

“Foi quando eu conheci o Átila. Isso foi em 2008 - já faz um bom tempo. É engraçado como a Stock Car entrou na minha vida como uma coisa temporária e acabou sendo algo permanente, independentemente do meu namoro. Gosto da categoria. A pena é que eu vejo todas as outras categorias e eu não consigo gostar como gosto da Stock Car.”

Com um carro puxando o motorhome, Átila tem ainda a liberdade de ir e vir no final de semana. “A gente tem uma Dodge muito forte. E quando chega na pista, a gente desengata e é o carro que usamos. Vou em evento de patrocinadores, e assim não preciso alugar carro também. Temos este conforto.”

Adaptações para o Brasil

Comprado na Flórida, o trailer necessitou de mudanças para percorrer as estradas e operar no Brasil. “A gente teve de fazer algumas adaptações. Tivemos de mudar a parte de eletricidade para se adequar às demandas daqui. Reforçamos também a estrutura, porque as estradas do Brasil são mais esburacadas que as dos EUA. Mas hoje não temos nenhuma dor de cabeça.”

Elias Duarte é o responsável por levar e trazer o motorhome, que fica em Sorocaba (cidade natal de Átila) quando não está nos autódromos. “Eu saio uma semana antes para preparar o motorhome. Chego aqui, pego um lugar e monto nossa estrutura.”

É ele também que cozinha para o piloto e seus convidados. “Comecei a cozinhar desde que os pais do Átilia foram morar fora. Nosso cardápio é bem simples. Eu evito somente fritura mesmo. Mas é o tradicional: bife, arroz e macarrão para ele.”

Abreu brinca: “Elias é um rapaz prendado. Pena que já é casado, senão a mulherada poderia se candidatar. Lava, cozinha, passa e puxa o trailer.”

Fonte: motorsport

 

 

 

 
veja notícias anteriores >>
 

GRAND TRAILER " Transformando seu Projeto em Realidade "


NegóciosWEB